Lendas Ribeirinhas

Baixo Guandu recebe oficinas de lendas ribeirinhas

Jovens criam histórias, canções e desenhos sobre os rios do Espírito Santo

Lendas Ribeirinhas

Oficinas de arte, música e memória estão sendo realizadas gratuitamente na Escola Presidente Kennedy em Baixo Guandu com adolescentes e jovens da região. As atividades fazem parte do projeto “Lendas Ribeirinhas”, envolvendo as lendas capixabas do Espírito Santo e outras lendas do Rio Doce e Guandu em dinâmicas beira rio com contações de histórias, estímulo a escrita de composições e desenho. A proposta do projeto é resultar a criação de um CD com composições musicais a partir fábulas narradas pelos próprios moradores locais, estimulando o contato com diferentes tecnologias, a criação de conteúdo, o resgate e a manutenção da memória local.

Lendas Ribeirinhas

O objetivo do projeto é recuperar, salvaguardar e valorizar as histórias e as lendas de comunidades ribeirinhas do Espírito Santo, em especial aquelas que margeiam a região do Rio Doce, através da composição e da música.

Através de conteúdo idealizado pela artista BeatriZanchi, a oficina utiliza um banco de lendas capixabas contando essas narrativas para crianças, jovens, adultos e idosos, proporcionando que eles conheçam a história e as fantasias do estado aonde vivem. O projeto tem estimulado que os próprios participantes narrem suas vivências e as lendas que conhecem, finalizando a criação de um encarte que irá compor o CD usando a escrita e de desenhos para a ilustração. A criação dos efeitos sonoros privilegiará elementos naturais locais, utilizando como cenário a beira dos rios e córregos da região. A proposta final é lançar o CD em uma ação comunitária na escola, em um sarau de músicas e poesias.

O projeto “Composição de Lendas Ribeirinhas do Espírito Santo” é uma realização da Caju Produções em parceria com a artista BeatriZanchi. É apoiada pelo Funcultura, da Secretaria de Estado da Cultura – Secult, através do Edital Setorial de Música 2016.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *