Da pedra ao sino de ouro: conheça o novo troféu do Cine.Ema

IMG-20170518-WA0024

 

 

 

Baseado na lenda da Ema, o sino  representa  as nossas preciosidades  pessoais  e as asas simbolizam a permissibilidade de encontramos  detalhes internos e transformarmos estes em novas características pessoais, dando asas a nossa imaginação, a nossa evolução e tornando-nos seres melhores. O troféu, prêmio dos melhores curtas selecionados na Mostra Competitiva do Cine.Ema, é confeccionado com resíduos industriais para afirmar o conceito de sustentabilidade e foi realizado pelo artista plástico Bruno Salvador. Bruno é restaurador e desenvolve uma pesquisas com materiais sustentáveis para a elaboração de obras de arte. Promove cursos, workshops e exposições de arte para conscientização e divulgação dos conceitos de reaproveitamento e ressignificação de materiais alternativos e sustentáveis.

A lenda da Ema

A Pedra da Ema é assim chamada porque, na sua crosta, existe uma parte, ou mancha, esbranquiçada que, em determinadas épocas do ano, parece retratar uma ave pernalta. Destaca-se, de junho a setembro, do meio-dia, – quando começa a transformação, em ave de bico erguido, patas e asas dispostas, para o vôo, – até às quinze horas, quando atinge o máximo de sua beleza e principia a esmaecer-se.

Segundo a lenda – uma dessas que enchem de poesia os recantos do Espírito Santo, existe um sino de ouro enterrado na pedra pelo escravo de certo fazendeiro, quando se iniciou o povoamento do sul da Capitania. Está guardado pelos bons espíritos que, à meia-noite, se reúnem, à sombra de uma sapucaieira, em cuja base repousa uma pedra encantada. É o sinal indicado para a descoberta da preciosidade, perdida no decorrer do tempo.

Dizem que um fazendeiro participou das entradas para as minas de ouro, do Castelo, onde explorou o metal empregado na feitura do sino. Perseguido pelos índios furiosos, diante das atrocidades ali cometidas, desceu, acompanhado de um escravo esperto que, vendo-o cair, atravessado por uma flecha certeira, que veio de ponto incógnito, logo o enterrou, com o valioso objeto. Seria desenterrado o sino, para o repique, nas festas da Liberdade, esperada sempre, com veemência, pelos infelizes, subjugados à impiedade dos patrões.

Sepultado, antes mesmo de exalar o último suspiro, o fazendeiro reaparece, na forma de uma ave, porque sua alma, presa ainda à ambição do ouro, anseia alar-se para o Infinito.

Maria Stella de Novaes 
Lendas Capixabas, 1968, p. 81

Pedra da Ema, foto de Lívia Batistine

Pedra da Ema, foto de Lívia Batistine

Inspirado na Pedra da Ema, ícone paisagístico e natural de Burarama, o Cine.Ema confirma a realização da sua 3ª edição nos dias 27 e 28 de outubro. A programação oferece oficinas, shows musicais e mostras de cinema ambiental gratuitas realizadas na Praça José Gava. Os filmes participantes da mostra competitiva concorrem ao troféu “Sino”, uma alusão à lenda da pedra da Ema, uma criação do artista plástico Bruno Salvador. A pedra é assim chamada por possuir uma falha rochosa que, de acordo com a posição do sol, forma a figura de uma ave pernalta. Os filmes da mostra competitiva foram avaliadas por um júri composto pelos profissionais Léo Merçon, Ilka Westermeyer e Roberta Fassarela.

Com o tema “Memória das águas – de onde vem a água do rio?”, o festival busca reconhecer a produção audiovisual ambiental nas mais diversas formas narrativas e introspectivas, trazendo à tona a importância da preservação de forma criativa, dinâmica e interativa, proporcionando um verdadeiro encontro entre a cultura e os aspectos naturais que circundam o distrito e a diversidade do Brasil.

 

O projeto tem foco cultural e de desenvolvimento local, já que prevê ações que permitam à comunidade de Burarama acesso a novas formas de criação e formação, recuperando e preservando memórias individuais, coletivas e territoriais — elevando a autoestima, senso de coletividade e de colaboração. A proposta também pretende fortalecer a educação e o empreendedorismo do capital humano da comunidade.

 

Tema 2017: “Memória das águas – de onde vem a água do rio?”

Em meio à busca de soluções sustentáveis sobre o fluxo e a produção de águas em regiões do Brasil, valoriza atividades educacionais e reflexões que dialoguem sobre a preservação e recuperação das nascentes, sobretudo através de ações práticas e de memória. O projeto focaliza o Circuito das Águas em Burarama, que envolve pequenos produtores rurais, artesãos, áreas de lazer, quedas d’água, piscinas naturais, agroindústrias locais, turismo de aventura e muitas belezas naturais, fazendo parte do Caminhos da Campo e do Corredor Ecológico capixaba.

Em sua 3ª edição, o festival Cine.Ema convida você a encontrar a origem da água e a se perguntar: de onde ela vem? E quais são as suas memoras das águas? Dos riachos, cachoeiras e córregos? Como ela surge e como manter sua fonte viva? Nessa jornada, o Cine.Ema chega doce como as águas do rio, propondo um mergulho nas lembranças que marcam a memória das comunidades, mas também, na investigação da origem e na preservação das nascentes.

O Cine.Ema é patrocinado pela BRK Ambiental e pela ANA – Agência Nacional de Águas – Ministério do Meio Ambiente e conta com o apoio de mídia e divulgação da TV Gazeta Sul e da ArcelorMittal. O projeto é uma realização da Caju Produções, do Instituto Últimos Refúgios e do Ministério da Cultura.

 

Programação completa:

25 de Outubro (quarta)
Oficina de Cinema Ambiental
De 13h às 17h / Local: EEEM de Pacotuba

A cineasta alemã Ilka Westermeyer irá conduzir os estudantes de Pacotuba a uma descoberta sobre o mundo do audiovisual. É uma oficina com teoria e prática de introdução ao cinema, linguagens, narrativas, equipamentos  e técnicas.

26 de Outubro (quinta)

Oficina de Observação de Aves
De 8h às 17h  / Local: Escola Wilson Resende, Burarama
Momento para despertar o olhar para a natureza! Orientados por Léo Merçon e Filipe Ventura, os jovens terão momentos de descontração, sensibilização ambiental e conservação da natureza através do interesse pelas aves.

Oficina de Cinema Ambiental

De 9h às 17h / Local: Escola Wilson Resende, Burarama
A cineasta alemã Ilka Westermeyer irá conduzir os estudantes de Pacotuba a uma descoberta sobre o mundo do audiovisual. É uma oficina com teoria e prática de introdução ao cinema, linguagens, narrativas, equipamentos  e técnicas.
27 de Outubro (sexta)
Oficina de Observação de Aves
De 8h às 12h  / Local: Escola Wilson Resende, Burarama
Momento para despertar o olhar para a natureza! Orientados por Léo Merçon e Filipe Ventura, os jovens terão momentos de descontração, sensibilização ambiental e conservação da natureza através do interesse pelas aves.

Oficina de Cinema Ambiental

De 9h às 17h  / Local: Escola Wilson Resende, Burarama
A cineasta alemã Ilka Westermeyer irá conduzir os estudantes de Pacotuba a uma descoberta sobre o mundo do audiovisual. É uma oficina com teoria e prática de introdução ao cinema, linguagens, narrativas, equipamentos  e técnicas.

Oficina conhecendo e cuidando de nossas águas

De 14h às 18h / Local: Auditório da Escola Wilson Resende, Burarama

Coordenada por Angela Schmidt, criadora da La Durabilité, a oficina terá uma dinâmica de construção coletiva de estratégias que promovam a adoção de práticas e iniciativas sustentáveis no uso e gestão das águas da escola e/ou comunidade. Angela Schmidt está a frente da La Durabilité, empresa com foco em educação e sustentabilidade.
Abertura da feira AME
19h30 / Local: Praça José Gava
Feira da Associação de Moradores Empreendedores de Burarama e Exposição de Bordados das Meninas Bordadeiras de Burarama.

Abertura oficial do evento
20h / Local: Praça José Gava


Mostra competitiva de curtas metragens Cine.Ema
20h15 / Local: Praça José Gava
Filmes:
Capibaribes, da Nascente à foz, de Canário Caliari | Doc, 20min, PE
Maria Cachoeira, de Pedro Carcereri | Fic, 11min, MG
Macacada, de Duda Larson | Ani, 04min, SP
Enquanto Canto, de Sil Azevedo | Fic, 15min, RJ
Rio Verdadeiro, de Hidalgo Romero | Doc, 16min, SP
Louça de Deus, de Eudaldo Monção Jr. | Doc, 13min, SP
A piscina de Caíque, de Raphael Gustavo da Silva | Fic, 15min, GO

Show com Zero28 Band

22h / Local: Praça José Gava

 

28 de Outubro (sábado)

Seminário: conhecendo e cuidando de nossas águas
De 13h às 16h30/ Local: Auditório Escola Wilson Resende, Burarama
Coordenada por Angela Schmidt, criadora da La Durabilité, o seminário realizará estruturas educadoras com varal de contatos e ideias, estratégias de fomento a parcerias, redes e trocas entre professores e comunidade em geral a fim de promover a adoção de práticas sustentáveis no uso e gestão das águas.. Angela Schmidt está a frente da La Durabilité, empresa com foco em educação e sustentabilidade.


Papo-nique

17h / Local:
casa de Dona Lair Gava, onde está plantada a árvore Cine.Ema.
Bate-papo com pique-nique sobre o tema Memória das Águas.

 

Feira AME
20h / Local: Praça José Gava
Feira da Associação de Moradores Empreendedores de Burarama e Exposição de Bordados das Meninas Bordadeiras de Burarama.

Mostra Competitiva de Curtas Metragens Cine.Ema

20h30 / Local: Praça José Gava
Filmes:
Cheiro de Melancia, de Maria Cardozo | Fic, 16min, PE
Pato-mergulhão: Vida e novas vidas, de Sávio Freire Bruno | Doc, 03min, RJ

Uma Aventura na Caatinga, de Laercio Ferreira Filho | Ani, 12min, PB

Meu Rio Vermelho, de Rafael Irineu Alves Lacerda | Doc, 20min, MT
Zoom, de Aristhotelis Tadeu Tiradentes | Fic, 11min, ES

Andar de Trem, de Duda Larson | Ani, 03min, SP
Berço das Águas, de Wesley Gondim | Doc, 17min, DF

Animais, de Guilherme Alvernaz | Ani, 12min, SP

 

Premiação

22h30 / Local: Praça José Gava

 

Show com Trio Maracá
23h / Local: Praça José Gava

 

Informações:

Léo Alves e Isabella Baltazar

isabellafecin@gmail.com

leoalvesmuqui@gmail.com

27 99836 9949 / 27 3026 0051

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *