Reserva Ambiental Águia Branca recebe o Cine.Ema

           A Reserva Ambiental Águia Branca, em Vargem Alta, possui área com 2.225 hectares

Nesta edição do Cine.Ema o público vai viver uma experiência inédita e incrível dentro da mata, na Reserva Ambiental Águia Branca, área com 2225 hectares, que constitui um dos fragmentos maciços primários de Mata Atlântica do Espírito Santo. Localizada entre os Parques de Forno Grande e da Pedra Azul, contribui para a conexão entre as duas Unidades de Conservação, interligando fragmentos florestais e preservando a biodiversidade, sendo relevante para as Bacias Hidrográficas de Rio Novo e Itapemirim, já que as florestas desempenham papel importante para a infiltração da água no solo.

Na reserva há a ocorrência da saíra-apunhalada (Nemosia rourei), que figura na lista dos animais ameaçados de extinção. A ave é típica da região e chegou a ser considerada extinta por mais de 50 anos. Contudo, no final da década de 1990, pesquisadores comprovaram sua existência nas Regiões Sul e Serrana do Espírito Santo. O local é bastante procurado por observadores de pássaros de todo o mundo.

Serviço
Festival de Cinema Ambiental do Espírito Santo (Cine.Ema)
Data: 17 a 22/9
Local: Reserva Ambiental Águia Branca – Km 303, Rodovia ES-164, Vargem Alta (ES)
Mais informações:
www.facebook.com/ema.cine
www.instagram.com/cine.emafestival

Cine.Eminha: show e mostra infantil para crianças na reserva

O curta “Os Segredos do Rio Grande” mostra que a preservação do meio ambiente começa com pequenas atitudes 

Realizado há quatro edições em Burarama, o Festival de Cinema Ambiental do Espírito Santo (Cine.Ema) chegará à Vargem Alta entre os dias 17 e 22 de setembro, em sua primeira versão itinerante fora do município de Cachoeiro de Itapemirim. E a programação, totalmente gratuita, vai incluir ações muito divertidas para as crianças, como oficinas e show da banda “No Seu Abracinho”.

O público mirim não vai desgrudar os olhos da tela durante o Cine.Eminha, uma mostra exclusiva para as crianças. Serão exibidos os curtas “Os Segredos do Rio Grande”, “Bolona de Pelo”, “As Aventuras da Marigota” e “O Menino Leão e a Menina Coruja”, no dia 21 de setembro, a partir das 18 horas, na Reserva Ambiental da Águia Branca.

O Cine.Ema Itinerante em Vargem Alta tem o apoio da Prefeitura Municipal de Vargem Alta e da Reserva Ambiental Águia Branca, com o patrocínio do Grupo Águia Branca. O evento é uma realização da Caju Produções, Instituto Últimos Refúgios e Ministério da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura.

O Menino Leão e a Menina Coruja será exibido no festival

Sobre os curtas
Em “Os Segredos do Rio Grande”, de Analúcia Godoi, desenvolvido pelos alunos de duas escolas municipais que participaram do “Projeto Animação”, o público vai conferir que a preservação do meio ambiente começa com pequenas atitudes e conta a história de personagens ligados ao rio que precisam cuidar e preservar este habitat e garantir sua sobrevivência. Com suas águas cristalinas, o Rio Grande traz segredos, belezas e também benefícios. É preciso mantê-lo limpo, sem lixo, cuidar das nascentes e preservar matas ciliares, para que toda essa riqueza se mantenha por muitos anos.

Já “Bolona de Pelo”, de Almir Correia, apresenta Baixinho, que encontra uma bolona de pelo abandonada e a leva pra casa, tentando convencer o primo Bum a ficar com ela. Em “As aventuras da Marigota – Quem conta um conto, aumenta um ponto”, de Daniel Barosa e Nikolas Maciel (SP), o público vai acompanhar a pequena Marigota, que vive feliz com sua família em Aguápolis. Mas o clima está quente demais e fofocas começam a espalhar.

Finalizando a mostra infantil, será exibido “O menino leão e a menina coruja”, de Renan Montenegro (DF), curta que destaca o universo das pessoas-animais, seres que misturam características humanas e animais.

Show

Banda No Seu Abracinho tem repertório repleto de clássicos voltado para crianças

A banda “No Seu Abracinho” fará um show especial que promete encantar o público infantil e também os adultos que forem prestigiar o Cine.Ema. Formado pelos músicos da Regionalzinho da Nair, o show terá um repertório repleto de clássicos voltado para crianças, com sucessos do Sítio do Pica-Pau Amarelo, Os Saltimbancos e muito mais. A apresentação será no dia 21, às 17 horas.

Serviço
Festival de Cinema Ambiental do Espírito Santo (Cine.Ema)
Data: 17 a 22/9
Local: Reserva Ambiental Águia Branca – Km 303, Rodovia ES-164, Vargem Alta (ES)
Mais informações:
www.facebook.com/ema.cine
www.instagram.com/cine.emafestival

Ver e fazer cinema na mata

Mostra de Cinema Ambiental do Cine.Ema sai de Burarama pela primeira vez e será realizada dentro da Reserva Ambiental Águia Branca, em Vargem Alta

O evento sai de um corredor ambiental para uma reserva nas montanhas capixabas

Já pensou ir ao cinema de um jeitinho totalmente diferente, com uma tela cercada de árvores, cachoeiras e muitos passarinhos? Pela primeira vez fora de casa, o Cine.Ema – Festival de Cinema Ambiental do Espírito Santo, realizado há quatro edições em Burarama (ES), apresenta o melhor de suas obras audiovisuais em uma experiência inédita e incrível dentro da mata, na Reserva Ambiental Águia Branca, nas montanhas de Vargem Alta (ES). O evento vai acontecer entre os dias 17 e 22 de setembro.

Com programação selecionada, as mostras do festival trazem filmes de ficção, animação e documentário que refletem sobre as questões ambientais do nosso tempo, além de música, oficinas e outras atividades para adultos e crianças. As ações educativas começam no dia 17 de setembro com oficinas de cinema e de vídeo ambiental e observação de aves dentro e fora da reserva. Já nos dias 21 e 22 de setembro vão acontecer as mostras de cinema, sendo uma exclusiva infantil além de shows musicais e feirinha com empreendedores locais.

O produtor Léo Alves, da Caju Produções, destaca que o Cine.Ema Itinerante vai oportunizar a realização do projeto em outras áreas que tenham sinergia com o meio ambiente. “O evento sai de um corredor ambiental para uma reserva nas montanhas capixabas. Esta é uma experiência inédita, uma oportunidade de praticarmos as nossas ações de educação ambiental em outros territórios do Espírito Santo”, comemora. A Reserva Ambiental Águia Branca fica no Km 303, Rodovia ES-164, em Vargem Alta.

O Cine.Ema
Inspirado na Pedra da Ema, cartão postal e ícone paisagístico e natural do interior do Espírito Santo, o Festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo (Cine.Ema) é um projeto social e cultural de ampliação da consciência ambiental através do cinema, difundindo obras audiovisuais que tematizam e refletem sobre o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável em mostras gratuitas. Amparado em três eixos principais que sustentam sua proposição (comunidade, memória e educação) o evento tem como objetivo principal a formação de público do interior no audiovisual.

O Cine.Ema Itinerante em Vargem Alta tem o apoio da Prefeitura Municipal de Vargem Alta e da Reserva Ambiental Águia Branca, com o patrocínio do Grupo Águia Branca. O evento é uma realização da Caju Produções, Instituto Últimos Refúgios e Ministério da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura.

Serviço
Festival de Cinema Ambiental do Espírito Santo (Cine.Ema)
Data: 17 a 22/9
Local: Reserva Ambiental Águia Branca – Km 303, Rodovia ES-164, Vargem Alta (ES)
Mais informações:
www.facebook.com/ema.cine
www.instagram.com/cine.emafestival

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O 7º FECIN

Divulgação marca fecin

Séries de TV voltam a fazer parte da seleção e premiação do festival em Muqui

Estão abertas até o dia 30 de julho as inscrições de obras de curta-metragem e séries de TV da sétima edição do FECIN, o Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo realizado em Muqui, maior sítio histórico do estado. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas por produtoras independentes e cineastas brasileiros no site da Caju Produções onde o proponente poderá acessar o regulamento com as regras gerais da seleção.

Inscrições: https://bit.ly/2Jd0m63  

Regulamento: https://bit.ly/2kQwwFN

Previsto para novembro de 2018, o Fecin realizará duas mostras competitivas. Numa delas serão selecionados filmes de curta-metragem de até 15 minutos nos gêneros de ficção, documentário, animação, experimental ou híbrido finalizados entre 2016 e 2018. Na outra, que marca a retomada dos diálogos e mostras de TV, o festival selecionará episódios de séries ou pilotos inéditos nas categorias ficção, documentário e ou animação de até 13 minutos de duração, exibidos em grade nacional – aberta ou fechada –  lançados entre 2015 e 2018, todos inéditos no evento. Os filmes selecionados pela curadoria serão exibidos no festival e os melhores filmes eleitos pelo júri receberão o troféu “Catraca”, tradicional premiação do evento.

O FECIN, Festival de Cinema do Interior do Espírito Santo  é uma ação cultural de cunho cinematográfico realizada desde 2012 no sítio histórico da cidade de Muqui. O projeto foi criado no intuito de expandir o diálogo audiovisual capixaba promovendo seu fomento e valorização. O objetivo da iniciativa é potencializar o cinema em comunidades interioranas. Desde 2013 o evento reforça o conceito do IN, de INterior, também explorando temas como a INdependência, a INternacionalização, a INvenção, a INtegração, a INspiração, a INtrospecção, o INfinito, dentre outras palavras que reforçam o IN das criações humanas. Neste contexto temático, o FECIN este ano fortalece o conceito de Memória & Patrimônio.

MEMÓRIA DA COR

Inspirado nos trabalhos desenvolvidos pela artista multimídia Monica Nitz (ES), a nova edição do Fecin reflete sobre a memória da cor, tema que ilustra não apenas a identidade visual do evento, como as ações de intercâmbio cultural protagonizadas por artistas e jovens em uma atividade de imersão artística que evidencia Muqui, seu patrimônio, a memória e as características socioculturais do município.

Como as sete cores do arco-íris, o Fecin chega à sua 7ª edição quase como um fenômeno óptico: a luz da tela ilumina praças e ruas e faz olhos brilharem. Estendemos nosso olhar para a cidade como patrimônio, para o cinema e as relações entre eles. O Fecin é o único  festival de cinema do interior do Espírito Santo realizado em sítios históricos preocupado em formar público e democratizar a cultura através da difusão de obras audiovisuais brasileiras, promovendo diálogos e formações.

A memória do passado visual arquitetônico da cidade, mescla-se com as cores e multiplicidades da cultura popular: o Boi pintadinho e a Folia de Reis, manifestações culturais e folclóricas tradicionais do município, e se ressignificam com o olhar de quem chega na cidade, participa, integra e se apaixona por essa cultura de cores.

 

SERVIÇO

Inscrições abertas para o 7º FECIN

Caju Produções

Rua Aleixo Neto, 636, fundos, Praia do Canto, Vitória (ES)

(27) 3026 0051

cajuprod@gmail.com

O que fazer na vila de Burarama

Cachoeira dos Perim

Localizada a 40 quilômetros de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, a  Vila de Burarama, aguarda os visitantes com as atrações do interior, com destaque para poços, cachoeiras e propriedades rurais.

A região faz parte do projeto Corredores Ecológicos, do Instituto Capixaba de Ecoturismo (ICE), com grande potencial turístico. Um dos lugares para conhecer é corredor que fica entre Burarama, Pacotuba e Cafundó (Não a de Judas rsr), uma grande área de conservação da Mata Atlântica.

As propriedades  rurais é de todo aconchego entre as formações rochosas que formam diversas quedas d’água.

CACHOEIRAS E POÇOS:

Cachoeira do Perim;

Poço dos Carás;

Poço Preto;

Poço do Pedro:

Veja como chegar ao charmoso distrito que sedia o Cine.Ema

CINE.EMA

Pouco mais de 40 quilômetros separam a linda e aconchegante Burarama de Cachoeiro de Itapemirim. A chegada ao bucólico distrito é através da rodovia Cachoeiro-Alegre. A estrada é pavimentada e a sinalização eficiente garante as informações necessárias para chegar ao local.

Vale uma dica: as belezas do lugar vão proporcionar fotos incríveis! E quando for postar, não esqueça de marcar as redes sociais do Cine.Ema.

Saiba onde se hospedar em Burarama para o Cine.Ema

Foto: Detinha Son

Foto: Detinha Son

O jeito bucólico de Burarama remete a rodas de conversa na rua, cafezinho da tarde na casa do vizinho e este clima de aconchego está refletido nas hospedagens disponíveis no local. No distrito, as opções são os conhecidos como ‘Cama e Café’, onde os hóspedes ficam acomodados em quartos de casas particulares, com direito a delicioso café da manhã. E o melhor de tudo, todas pertinho de onde acontece o Cine.Ema, que esta semana vai movimentar o distrito, com uma seleção especial de curtas-metragens e shows variados!

Ainda não fez a sua reserva? Então anote os contatos?

Angela Gava – (28) 99993-7933
Gracinha Sabadine – (28) 99992-9122
Maria Aline – (28) 99963-3571
Marlucia Bermute – (28) 99966-9208
Telma Gava – (28) 99949-0260
Mere – (28) 99957-4541
Maria Aparecida – (28) 99942-5564 Kátia Perim (28) 99991-5665

Acessibilidade no Cine.Ema 2018

Acessibilidade no Cine.Ema

Acessibilidade e inclusão na quarta edição do Festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo – Cine.Ema.  Com o olhinho brilhando de emoção, informamos que o festival dessa no, em Burarama, distrito de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, terá sessões com filmes em closed captions, audiodescrição e libras.

O Festival acontece nos dias 8 e 9 de junho, com sessões de cinema gratuito na praça José Gava.

Pedra da Ema pode se tornar Patrimônio Natural do Espírito Santo

Pedra da Ema

Pedra da Ema

Ícone paisagístico do distrito de Burarama, em Cachoeiro de Itapemirim, e símbolo do festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo, Cine.Ema, a Pedra da Ema pode se tornar Patrimônio Natural do Estado. O processo de tombamento está em fase final de análise  na Secretaria Estadual de Cultura (Secult). A proposta foi apresentada em 2015 por Deusdete Alle Son , ativista ambiental e produtora do evento. Detinha, como era conhecida faleceu em 2016.

A ideia do tombamento acompanha o Cine.Ema desde a realização da primeira edição. Tânia Caju, produtora do festival relembra que no seu início, Detinha logo se apressou em conversar com proprietários dos terrenos de onde fica a Pedra da Em, que toparam de imediato a proposta. Com a documentação reunida, Detinha e Tânia protocolaram o pedido na Secult e prefeitura municipal de Cachoeiro.

“Essa ideia foi de Deusdete, com toda expertise, experiência, e olhar de preservação. Como a pedra se tornou símbolo do festival ela se despertou pelo assunto e começou o movimento”, relembra Tânia Caju.

A pedra é chamada de “Pedra da Ema porque, na sua crosta, existe uma parte, com uma mancha esbranquiçada, que, em determinadas épocas do ano, quando os raios de sol ‘batem’ na rocha forma uma figura que parece retratar uma ave pernalta.  Além de sua beleza natural, a Pedra da Ema guarda a história de uma lenda capixaba.

O TOMBAMENTO

O processo de tombamento está prestes a ser finalizado pelo Conselho Estadual de Cultura da Secult. Segundo informações divulgadas pela pasta, falta a anuência dos proprietários do entorno do monumento, que já manifestaram interesse em transformar a Pedra da Ema em Patrimônio Natural do Estado.

“Foi verificado que ela ultrapassar a relevância local e por isso está sendo tombada. O trabalho é pela história que a pedra representa representa na paisagem das pessoas da região e do Espírito Santo”, explica Rodrigo Zotelli, gerente e memória e patrimônio da Secult.

A lenda da Pedra da Ema

Segundo moradores locais, um escravo teria enterrado um fazendeiro antes de morrer ao lado de um valioso sino de ouro. O tesouro ficava à sombra de uma sapucaieira, em cuja base repousava uma pedra encantada. De acordo com a lenda, o fazendeiro se transformou em uma ema para tentar recuperar o tesouro.

Troféu Sino

Baseado na lenda da Ema, o sino  representa  as nossas preciosidades  pessoais  e as asas simbolizam a permissibilidade de encontramos  detalhes internos e transformarmos estes em novas características pessoais, dando asas a nossa imaginação, a nossa evolução e tornando-nos seres melhores. O troféu, prêmio dos melhores curtas selecionados na Mostra Competitiva do Cine.Ema, é confeccionado com resíduos industriais para afirmar o conceito de sustentabilidade.

O troféu é uma criação do artista plástico Bruno Salvador

O troféu é uma criação do artista plástico Bruno Salvador

 

Conheça os jurados do Cine.Ema

Jurados Cine.Ema 2018

Um time gabaritado foi escalado para integrar o júri do Cine.Ema, festival de cinema ambiental que vai acontecer em junho, em Burarama. A missão de selecionar quais curtas concorrentes vão faturar o “Sino de Ouro”, caberá à Leandra Moreira, presidente da ABD Capixaba, especialista em Cinema pela ECA/USP, ao roteirista, diretor de produção e fotógrafo, Orlando Bomfim Netto, que tem de 15 curtas e médias e 10 longas no curriculum e Ériton Berçaco, organizador da mostra “Pare, olhe, escute” e curador do Fecin – Festival de TV e Cinema de Muqui. “Esta é a minha primeira experiência em uma comissão julgadora. Não é uma missão fácil julgar o trabalho do outro, mas me dá conforto saber que dividirei essa responsabilidade com profissionais incríveis, pois sei que seremos o mais justos e criteriosos possível”, declara Leandra. Ela garante que, embora seja uma mostra competitiva, não há concorrência. “Não é uma disputa, é arte. No audiovisual somos poucos e torcemos sempre uns pelos outros”, garante.