Em seu roteiro e argumento, “Pássaro de Papel” é um filme de curta metragem que traz a história de um fotógrafo que, solitário, vive um momento de profunda reflexão sobre sua vida e seu papel no mundo a partir de fragmentos do seu passado. Revisitando o antigo vilarejo onde viveu com o pai, este fotógrafo se lembrará de momentos importantes de sua vida e captará imagens de pessoas comuns do lugar que passam a fazer parte daquilo que podemos denominar de “universo” pessoal ou memória fotográfica afetiva deste personagem. É como se os personagens fotografados fossem “tele transportados” para outro local, um quarto vazio, uma memória. Dentro deste contexto, cabe, ainda, a abordagem das relações familiares já que as cenas proporcionam muitos encontros e desencontros entre pais e filhos. A história suscita reflexão em torno da questão antropológica, espacial e temporal das fotografias, que mexem com o imaginário humano.