Festival de Cinema de Muqui divulga filmes selecionados

logo cinza

Filmes de 09 estados brasileiros compõem a mostra competitiva da 6ª edição

Depois de avaliar mais quase 200 inscrições de filmes brasileiros e internacionais, a curadoria do Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo (FECIN), realizado desde 2012 na cidade histórica de Muqui, no sul do Espírito Santo, divulgou a lista final de filmes escolhidos para exibição em sua mostra competitiva.  Ao todo foram selecionados 14 obras de diretores de regiões como Brasília, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Os filmes foram escolhidos  por uma curadoria composta por Cláudia Puget e Ériton Berçaco, artistas e produtores moradores de Muqui. As produções serão novamente avaliadas durante o festival por um júri oficial e júri popular concorrendo ao tradicional troféu “Catraca” de melhor filme (documentário, animação, ficção e júri popular).

A novidade do Fecin em 2017 são as parcerias com coletivos e ações locais de artistas moradores de Muqui, entre eles o cineclube “CinEstação”, resultando em mostras de cinema em Super 8, oficinas de captação de som, novas mídias, teatro e atividades musicais.

O evento acontece nos dias 08 e 09 de setembro de 2017, na Antiga Estação Ferroviária, no centro histórico de Muqui, envolvendo oficinas, ocupações culturais na cidade, mostras de cinema, shows musicais e bate-papo com os realizadores. O Fecin é uma realização da Caju Produções.

wellington abreu - foto isabelle prado 3

Curtas selecionados para o Fecin 2017:

+ 1 Brasileiro, de Gustavo Moraes, Ficção, Vitória (ES)

Deus, de Vinícius Silva, Híbrido, São Paulo (SP), Pelotas (RS)

Em torno do sol, de Julio Castro e Vlamir Cruz, Ficção, Natal (RN)

Hora do Lanchêêê, de Claudia Mattos, Ficção, Rio de Janeiro (RJ)

Iluminadas, de Gabi Saegesser, Documentário, Recife (PE)

Improviso ambulante, de Leandro Aragão, Documentário, Belo Horizonte (MG)

Na quebrada, de José Augusto Muleta, Híbrido, Vitória (ES)

O Ferreiro, de Roberto de Nardi, Híbrido, Juiz de Fora (MG)

O homem que não cabia em Brasília, de Gustavo Menezes, Ficção, Brasília (DF)

O sabiá do samba,  de Beto Waite, Diego Tavares e Pedro Bálaco, Documentário, Rio de Janeiro (RJ).

Òrun Àiyé – Criação do Mundo, de Jamile Coelho e Cintia Maria, Animação, Salvador (BA).

Retirantes, de Maíra Coelho, Animação, Porto Alegre (RS).

Rio Verdadeiro, de Hidalgo Romero, Documentário, Campinas (SP).

Wesdra, o passageiro da agonia, de Armando Lima e Christian Caselli, Documentário, Rio de Janeiro (RJ).

 

TEMA FECIN 2017:

FECIN 2017: 6ª EDIÇÃO, 6º SENTIDO

O OUTRO LADO

IN.VISÍVEL

O SEXTO SENTIDO

O MUNDO PARALELO

O ALÉM

TEMPO

AS COISAS ESTRANHAS

A IN.TUIÇÃO

Sempre relacionando os sentidos e as inspirações humanas como o tato, o contato artístico, o intercâmbio cultural e os aspectos poéticos, líricos e oníricos, lúdicos e inventivos da criatividade em sua programação, o FECIN chega à sua 6ª edição lançando luz, olhar e reflexão para o outro lado, o mundo paralelo, no sujeito oculto, transversal, invisível, o espírito, as viagens pessoais, as imagens místicas, os sonhos e todos os devaneios audiovisuais possíveis. O que você vê do outro lado? O que está além de nós, do outro lado da tela? Que outro mundo possível existe nesse plano? O que está além da inteligência humana? O que está além da fantasmagoria?

Depois de uma edição comemorativa de cinco festivais, explorando os cinco sentidos humanos, em especial o tato e o contato, o FECIN chega à sua 6ª edição buscando no sexto sentido a inspiração para abordar o que está além do paladar, do olfato, do tato, da audição e da visão: o in-visível, a percepção extra-sensorial, a intuição. O tema será abordado em um encontro de bate-papo com cineastas, além de esquetes teatrais durante o evento e na identidade visual do festival.

 

Informações:

Sullivan Silva

sullivanfecin@gmail.com

(27) 998143649

Caju Produções

www.cajuproducoes.art.br

Cine.Ema divulga filmes selecionados para 2017

cineema_burarama-103

Filmes de sete Estados brasileiros concorrem ao troféu “Burarama” na 3ª edição do Festival de Cinema Ambiental de Cachoeiro de Itapemirim.

Inspirado na Pedra da Ema, o “Cine.Ema” apresenta a seleção oficial dos filmes da mostra competitiva, que integra a programação da terceira edição do Festival de Cinema Ambiental. A curadoria, composta por Léo Merçon, Ilka Westermeyer, do Instituto Últimos Refúgios, e Roberta C. Fassarella, avaliou cerca de 100 obras cinematográficas de todo o Brasil. Foram selecionados 15 filmes de curta duração nas categorias de ficção, animação e documentário dos Estados do Mato Grosso, Goiás, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Paraíba, Distrito Federal e Pernambuco. O festival será realizado nos dias 30 de junho e 01 de julho, no distrito de Burarama.

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento socioambiental da comunidade, a Odebrecht Ambiental e a ANA, Agência Nacional de Águas, são algumas das empresas e instituições parceiras do festival. Os vencedores serão premiados em cada categoria com o Troféu “Burarama”, além do prêmio de votação popular.

Buscando fazer de Burarama uma referência cultural e turística no sul capixaba, o festival foi pensado para valorizar a Pedra da Ema localizada no distrito. A pedra leva este nome por estampar em sua superfície a figura de uma Ema, transformando-se num símbolo da região.

Animação Animais, de Guilherme Alvernaz, faz parte da mostra competitiva do CINE.EMA 2017
Animação Animais, de Guilherme Alvernaz, faz parte da mostra competitiva do CINE.EMA 2017

Em sua 3ª edição, o Festival Cine.Ema convida você a encontrar a origem da água e a se perguntar: de onde ela vem? De onde vem o Rio? E quais são as suas memoras das águas? Dos riachos, cachoeiras e córregos? Como ela surge e como manter sua fonte viva?

Nessa jornada, o Cine.Ema chega doce como as águas do rio, propondo um mergulho nas lembranças que marcam a memória das comunidades, mas também, na investigação da origem e na preservação das nascentes.

O Cine.Ema é uma realização do Ministério da Cultura, da Caju Produções e do Instituto Últimos Refúgios, com apoio da Odebrecht Ambiental, da ANA (Agência Nacional de Águas) e do Ministério do Meio Ambiente.

Ficção Enquanto canto, de Sil Azevedo, faz parte da mostra competitiva do CINE.EMA 2017
Ficção Enquanto canto, de Sil Azevedo, faz parte da mostra competitiva do CINE.EMA 2017