SELO_CineEma

Inscrições abertas para o 3º Cine.Ema

cineema_burarama-103

3ª edição do Festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo recebe inscrições de obras cinematográficas até o dia 28 de fevereiro.

Realizado desde 2015 no distrito de Burarama em Cachoeiro de Itapemirim, o Cine.Ema, evento cultural e ambiental, recebe inscrições de curtas metragens para sua mostra cinematográfica competitiva e paralela. Os filmes participantes da mostra competitiva concorrem ao troféu “Ema” e serão avaliados por uma curadoria composta pelos profissionais Léo Merçon, Ilka Westermeyer e Roberta Fassarela. Podem inscrever-se propostas de animação, ficção e documentário com duração máxima de 20 minutos. A 3ª edição do Cine.Ema está prevista para ocorrer nos dias 30 de junho e 01 de julho de 2017 em Burarama.

As inscrições podem ser realizadas no site do Instituto Últimos Refúgios, no link indicado abaixo:

LINK (regulamento)

LINK (ficha de inscrição)

Com o tema “Memória das águas – De onde vem a água do rio?”, o festival tem como proposta reconhecer a produção audiovisual destinada ao relacionamento com o meio ambiente nas mais diversas formas narrativas e introspectivas, trazendo à tona a importância da preservação de forma criativa, dinâmica e interativa, proporcionando um verdadeiro encontro entre a cultura e os aspectos naturais que circundam o distrito e a diversidade do Brasil.

Em 2017 o festival pretende realizar itinerâncias de cinema em bairros e distritos de Cachoeiro de Itapemirim. O Cine.Ema é uma realização da Caju Produções e do Instituto Últimos Refúgios e tem o apoio da ANA – Agência Nacional das Águas e da Odebrecht Ambiental.

 

INFORMAÇÕES

Caju Produções

cajuproducoes.art.br

Léo Alves e Mariana Sathler

leo@cajuproducoes.art.br

27 3026 0051

Detalhes do interior

Confira opções de hospedagem para o Festival de Muqui

Para a galera que ainda está procurando hospedagem, aí vão alguns locais que ainda tem vaga na cidade de Muqui:

Pousada e Restaurante Viela
Centro de Muqui
Tel: (28) 999003142
Email: ritalvalim@gmail.com

Casa 2 Quartos, próximo ao evento.
Contato: Marlene 28 99938-6838

Casa 3 Quartos, 4km do Centro
Contato: Marlene 28 99938-6838

Casa 3 Quartos, 200 metros do evento
Contato: Gabriel 28 99910-0647

Casa 4 Quartos, 200 metros do evento

Contato: Jamille Lopes (28) 999472528

Cama e Café: 1 quarto, com duas camas de solteiro. 1 quarto de casal, e 1 quarto de solteiro. Sistema Cama e Café (pernoite com café da manhã). Diária 60,00 por pessoa. Contato: Ériton Berçaco 02799911-7868, whatsapp ou in box

Contato para mais informações sobre as opções abaixo:
Josilda Mendes – 28 99255-1486
Opção 1: Sítio com Casa 3 Quartos e área para barracas, próximo da cidade;
Opção 2: Apartamento 2 Quartos dentro da cidade, próximo ao evento;
Opção 3: Suite grande, próxima ao evento

 

Camping Recanto das Garças
Contatos: Marília Carvalho 28 99884-7626 (WhatsApp)
Email: campingrecantodasgarcas@gmail.com

Contato para mais informações sobre as opções abaixo:
Josilda Mendes – 28 99255-1486
Opção 1: Sítio com Casa 3 Quartos e área para barracas, próximo da cidade;
Opção 2: Apartamento 2 Quartos dentro da cidade, próximo ao evento;
Opção 3: Suite grande, próxima ao evento

Fazenda São João – Muqui/ES, localizada a 3Km de Muqui, está disponibilizando HOSPEDAGEM para grupo de 10 pessoas com café da manhã e estacionamento (para mais hóspedes, favor entrar em contato pelo telefone). Casa mobiliada com 2 quartos, sala, banheiro, frigobar, piscina e contando com serviço de bar e restaurante. Maiores informações:(28) 99991-3113 Camila Furtado / (28) 99975-0368 Maria Carmem

 

Atriz Margareth Galvão

Atriz e diretora Margareth Galvão será homenageada no Festival de Muqui

Atriz Margareth Galvão

Atriz Margareth Galvão

Homenagem acontece na noite do dia 9 de setembro na antiga estação ferroviária da cidade

A atriz e diretora Margareth Galvão será homenageada na 5ª edição do Festival de TV e Cinema do interior (Fecin), que acontece nos dias 9 e 10 de setembro no Sítio Histórico de Muqui. Margareth atuou em várias produções do cinema brasileiro e se destaca por sua atuação no cinema capixaba.

Margareth resalta que o Espírito Santo possui produções fantásticas e gostaria de atuar também em Muqui.

“Eu gosto muito de fazer cinema. Então,onde me chamarem eu vou,  e o Espírito Santo tem uma produção audiovisual bem legal. São vários anos atuando aqui, gostaria de atuar também em Muqui, só que não é fácil, pois o mercado não é tão intenso”, disse.

A atriz começou a estudar teatro em 1973 aos 19 anos, na Escola Fundação das Artes de São Paulo. Desde 1990 seu talento está registrado no cinema brasileiro. No Espírito Santo atuou no filme “Lamarca” de Sérgio Resende, “O amor está no ar (1997)”, produção capixaba dirigida por Amylton de Almeida, entre outros.

Com o cineasta capixaba Rodrigo Aragão, a atriz participou de três produções: “A noite dos Chupacabras (2011)”, “Mar Negro (2012)” e “As Fábulas Negras (2014)”.

Atriz Margareth Galvão

Atriz Margareth Galvão

No ano passado interpretou Dona Helena, no filme “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” de Rodrigo de Oliveira, gravado no Distrito de Buararama, em Cachoeiro de Itapemirim.

A Homenagem acontece na noite de sexta-feira (09) de setembro, às 21h, no palco principal do Fecin, montado no arredores da antiga estação ferroviária em Muqui.

FE5INCO

Em 2016, o Fecin completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

TEMA 2016

Em 2016 o Fecin propõe refletir e promover o intercâmbio entre o Espírito Santo e outros estados brasileiros a partir do olhar cinematográfico, através de trocas de conhecimentos, linguagens, formas e conteúdos entendidos sob pontos de vistas diferentes, e refletidos em encontros de reflexão entre seus produtores e diretores. Nos encontros de bate-papo do festival, cineastas do Espírito Santo e de outros estados irão refletir sobre temas em comum (ou não) de suas obras, com (in)teração do público.

A 5ª edição do Fecin acontece nos dias 9 e 10 de setembro na Antiga Estação Ferroviária de Muqui (ES). O festival é uma realização da Caju Produções em parceria com o Instituto Sincades, patrocínio do Sebrae e apoio da Prefeitura Municipal de Muqui e Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo.

DE MUQUI PARA O MUNDO, OU DO MUNDO PARA MUQUI
Um festival de capixabas, amazonenses, paulistanos e baianos, enfim, um festival do Brasil. Cineastas viverão uma experiência única hospedados em uma mesma casa no sítio histórico da cidade.

Cicloativista Detinha Son, durante o passeio de bicicleta à moda antiga do 2º Fecin

Festival de Muqui realiza exposição fotográfica “Ciclo de Memória”

Cicloativista Detinha Son, durante o passeio de bicicleta à moda antiga do 2º Fecin

Cicloativista Detinha Son, durante o passeio de bicicleta à moda antiga do 2º Fecin

Exposição reúne fotografias que resgatam memórias de pessoas com suas bicicletas

A bicicleta é um elo de gerações e de família. Faz parte de nosso cotidiano e vivência com os amigos. Reunindo fotografias que transmitem e contam essas histórias, a 5ª edição do Festival de Cinema e TV do Interior (Fecin), realiza a exposição “Ciclo de Memória. O projeto é uma homenagem à cicloativista Detinha Son, parceira do Fecin e da Caju Produções, que se despediu de nós em 2016.

De acordo com a coordenadora do projeto Dora Moreira, a exposição é uma forma de reviver momentos. “Evocar as experiências com bicicletas é uma forma de reviver um dos momentos mais lúdicos da nossa infância.  Além disso, serve para fortalecer o modal como solução para o caos urbano e mais importante que isso, ajuda a ressignificar a relação das pessoas com as cidades”, disse.

A exposição fotográfica acontece durante do festival, nos dias 9 e 10 de setembro,  e será realizada na casa Dr. Poty Formel, localizado na Avenida Vieira Machado, nº 707, próximo à praça principal da cidade.

A ação é o start para o passeio de bicicleta à moda antiga, realizado pela terceira vez no festival. O passeio acompanhará o cortejo da Fanfarra “Avides Fraga” em um circuito pela avenida principal de Muqui, finalizando na Antiga Estação Ferroviária.

O evento é uma mobilização coletiva com a artista Dora Moreira, em parceria com a Caju Produções e comunidade de Muqui (ES).

 

Quer participar?

A gente quer contar uma história linda em uma exposição interativa e cheia de memória, por isso convidamos você a compartilhar com a gente suas memórias afetivas.Com sua bicicleta, com a sua cidade, com a sua família.

Resgate sua foto, conte sua história e publique no evento no facebook com a hastag: #ciclodememoria #fecin2016 e participe.

As fotografias vão integrar a exposição e entrarão para a memória do Fecin.

 

FE5INCO

Em 2016, o Fecin completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

TEMA 2016

Em 2016 o Fecin propõe refletir e promover o intercâmbio entre o Espírito Santo e outros estados brasileiros a partir do olhar cinematográfico, através de trocas de conhecimentos, linguagens, formas e conteúdos entendidos sob pontos de vistas diferentes, e refletidos em encontros de reflexão entre seus produtores e diretores. Nos encontros de bate-papo do festival, cineastas do Espírito Santo e de outros estados irão refletir sobre temas em comum (ou não) de suas obras, com (in)teração do público.

A 5ª edição do Fecin acontece nos dias 9 e 10 de setembro na Antiga Estação Ferroviária de Muqui (ES). O festival é uma realização da Caju Produções em parceria com o Instituto Sincades, patrocínio do Sebrae e apoio da Prefeitura Municipal de Muqui e Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo.

DE MUQUI PARA O MUNDO, OU DO MUNDO PARA MUQUI

Um festival de capixabas, amazonenses, paulistanos e baianos, enfim, um festival do Brasil. Cineastas viverão uma experiência única hospedados em uma mesma casa no sítio histórico da cidade.

post_marca

Festival de TV e Cinema de Muqui divulga programação completa

Festival ocorre nos dias 9 e 10 de setembro com atividades abertas ao público

13735131_517036328502881_687325608347794487_o

O Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo (Fecin), realizado desde 2012 na cidade Histórica de Muqui, divulga a programação completa da 5ª edição do evento, que acontece entre os dias 9 e 10 de setembro. É uma oportunidade de conhecer produções cinematográficas de todo Brasil e se emocionar com muitas histórias, poesia, arte, música e outras atividades culturais.

Entres os destaques da edição comemorativa de 5 anos do festival, está a exposição “Ciclo de Memória”. A proposta é que, a partir de fotografias, se conte histórias de pessoas e suas bicicletas. O start para o passeio de bicicleta à moda antiga pelas ruas da cidade, acompanhada pela tradicional fanfara “Avides Fraga”. O projeto é uma homenagem a Detinha Son, parceira do Fecin e da Caju produções que se despediu de nós em 2016.

Muitas atividades recheiam o festival deste ano, como o “Fecin para crianças”, com filmes de animação que representam a diversidade cultural de diferentes povos ao redor do mundo e oficinas para jovens cineastas com a Cineativista Ilka Westermeyer.

Outra novidade é a exposição “Memorial do Bordado”, que reúne mapas afetivos realizados pelas Meninas Bordadeiras de Burarama, resultado de uma oficina de memória. Os mapas são bordados pelas próprias meninas e foram construídos em um processo de sensibilidade e introspecção nas memórias individuais e coletivas do grupo, que se reúne toda quinta-feira no distrito em Cachoeiro de Itapemirim.

IMG_1439

O FECIN 2016 apresenta também:  o lançamento do livro “A palavra que Apalavra” de Jace Theodoro. O muquiense e cronista lança seu mais novo livro, com crônicas irreverentes publicadas no Jornal A Gazeta. O autor recepcionará convidados, amigos e admiradores na Loja do FECIN.

Os 12 filmes que participam da Mostra Competitiva concorrem ao Troféu Catraca, e serão eleitos por um júri técnico. A novidade desse ano é o troféu “Palma”, concebido pela artista plástica Cláudia Puget, em comemoração aos cinco anos de festival e será o prêmio para o filme escolhido por um  júri popular composto por 10 moradores de Muqui.

FE5INCO

post_modelo_fecim_2

Em 2016, o Fecin completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

TEMA 2016

Em 2016 o Fecin propõe refletir e promover o intercâmbio entre o Espírito Santo e outros estados brasileiros a partir do olhar cinematográfico, através de trocas de conhecimentos, linguagens, formas e conteúdos entendidos sob pontos de vistas diferentes, e refletidos em encontros de reflexão entre seus produtores e diretores. Nos encontros de bate-papo do festival, cineastas do Espírito Santo e de outros estados irão refletir sobre temas em comum (ou não) de suas obras, com (in)teração do público.

A 5ª edição do Fecin acontece nos dias 9 e 10 de setembro na Antiga Estação Ferroviária de Muqui (ES). O festival é uma realização da Caju Produções em parceria com o Instituto Sincades, patrocínio do Sebrae e apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo.

DE MUQUI PARA O MUNDO, OU DO MUNDO PARA MUQUI

Um festival de capixabas, amazonenses, paulistanos e baianos, enfim, um festival do Brasil. Cineastas viverão uma experiência única hospedados em uma mesma casa no sítio histórico da cidade.

 

PROGRAMAÇÃO FECIN 2016:

 

Dia 09 de setembro | Sexta-feira 

9h

Mostra “FECIN para crianças”

Estudantes Internacionais Maxi

Parceria com Grand Prix Anim!Arte

O CinEstação e o FECIN vão oferecer para os pequeninos muita emoção, fantasia e diversão em filmes de animação para toda a criançada em um verdadeiro aniversário de 05 anos do FECIN.

Auditório Wolfango Ferreira | Antiga Estação Ferroviária de Muqui (ES)

Sessões: 9h-10h, 10h-11h e 11h-12h; 14h-15h, 15h-16h, 16h-17h;

LOGO ANIM!ARTE

O Anim!Arte é um festival de animação voltado para o público estudantil, e busca incentivar a cultura e o crescimento profissional e artístico na área de animação no Brasil estimulando principalmente o aumento de produções audiovisuais de animação entre estudantes.A partir da criação de um espaço periódico de visibilidade e repercussão nacional e internacional para a apresentação de filmes de animação, o Anim!Arte busca capacitar profissionais, fomentar o desenvolvimento de criações inéditas, assim como divulgar e revelar novas produções audiovisuais. Um dos principais objetivos do Festival Anim!Arte é a formação de público, possibilitando que jovens e crianças adquiram o hábito cultural de apreciar e participar de festivais audiovisuais. O Anim!Arte possibilita o acesso a produções inéditas e atuais, principalmente para estudantes de projetos sociais, da rede pública de ensino, e residentes em comunidades periféricas.

Estudantes Internacionais Maxi

Esta categoria inclui filmes produzidos nas principais e mais renomadas escolas de artes audiovisuais do mundo (universidades e escolas de cinema) como por exemplo: Filmakademie baden-wuerttemberg (Alemanha), CalArts (EUA), School of Visual Arts of New York (EUA), Institute of Design (Índia), Universidad del Cine (Buenos Aires), Centro Sperimentale di Cinematografia (Itália), Royal College of Arts (Inglaterra), VGIK (Russia), Academy of Media Arts (Alemanha), EMCA (França), China Academy of Art (China), ESAV La Cambre (Bélgica), Vancouver Film School (Canadá) entre outras.

You Ci Ke (有刺客)

Ronald Fong Ren, Han Qingping, Su Xianting e Candice Lee Ling

NTU – Nanyang Technological University

The Walker

Heather Collins

UCLA – University of California – Los Angeles

Chateau de Sable

Quentin Deleau, Lucie Foncelle, Maxime Goudal, Julien Paris, Sylvain Robert

ESMA – Ecole Supérieur des Métiers Artistiques

Montpellier

Tinkle

Lucas Fraga Pacheco

CalArts

Valencia

Oyster

Dominik Stockhausen, Carl Krause

Filmakademie

Baden-Württemberg

Ludwigsburgo

Hey Deer!

Örs Bárczy

MET – Budapesti Metropolitan Főiskola

Budapeste

Apocalyptos

Simon Loisel, Guillaume Miquel, Mathilde Michel, Mélanie Le Bloa, Julien Loth

Rubika

Valenciennes

Candelaria Hot Dog

Alexander Montoya

RIT – Rochester Institute of Technology

Nova Iorque

Cute Firends

Xiaohan Liu

Sheridan College

Oakville

Chef Almeda

Chamishka Gamage

AMDT – Academy of Multimedia design and technology

Colombo

Hola Llamigo

Christina Chang e Charlie Parisi

Ringling College of art and Design

Sarasota

Pavement

Law Cheuk Yiu

City University of Hong Kong

Kowloon Ton

Bubble

Zig Lam Yee, Quek Yulin e

Korny Poh

NTU – Nanyang Technological

University

Forged

Edgar Rosales

VFS – Vancouver Film School

Vancouver

Catch it

Paul Bar, Marion Demaret, Nadège Forner, Pierre-Baptiste Marty, Julien Robyn, Jordan Soler

ESMA – Ecole Supérieur des Métiers Artistiques

Montpellier

 

16h00

Exposição “Ciclo de Memórias”

ciclo_memoria

Abertura da exposição, projeto #ciclodememórias

A bicicleta é um elo de gerações e de família, faz parte das nossas brincadeiras na rua com os amigos. A bicicleta constrói nossa memória!

A 5ª edição do FECIN apresenta o “Ciclo de Memória”, um projeto que envolve

o símbolo do festival – a bicicleta, embalando a “cidade menina” pela perspectiva da memória. O projeto integra uma exposição fotográfica que será realizada na casa Dr. Poty Formel e Anna Fraga, além de um passeio de bicicleta a moda antiga, realizado pela 3ª vez no evento. O projeto é uma homenagem a Detinha Son, parceira do FECIN e da Caju Produções que se despediu de nós em 2016.

A exposição é uma mobilização coletiva com a artista Dora Moreira, em parceria com a Caju Produções e Comunidade de Muqui (ES).

Equipe

Curadoria de Dora Moreira

Local de exposição: Casas “Dr. Poty Formel” e Casa “Ana Fraga”

Coordenação do passeio: Eliete Xavier

Produção: Caju Produções

 

16h00

Cortejo poético de abertura do FECIN | Música, teatro e poesia

Avenida Vieira Machado, com saída em frente à escola “Jurandy França Martins”

Apresentando “Pé de que tem – Atos em desatos” da Companhia Circo Teatro Capixaba.

Participação do projeto “Muqui na passarela”, de Wander Polati.

Com a banda “Fames Dixieland”.

 

“Pé de que tem – Atos em desatos”

Sem textos preconcebidos, a cenopoesia acode a um pretexto; e no contexto o texto surge (em ato) e se constrói; concretiza-se e age em suas curvas, diferentes sabenças, expressões, temperaturas. O desafio de repente torna o que seria espetáculo um ato de resistência em linguagem híbrida e leve, reconstituindo-se como síntese dialógica de cada um que se presenteia finalidade no tempo do ser com esse cenoato que tem e talvez não tenha fim. Não se trata de improviso tampouco de coisa pronta, mas de dialogicidade. Da escuta, da observação e do arranjo construído durante todo o processo. Cada ato cenopoético, cada momento é tão único e particular como um de cada um.

 

Fames Dixieland

O dixieland ou jazz tradicional foi o último estilo que surgiu da mistura da música africana e europeia depois de 1900. Nova Orleans, a cidade mais importante no surgimento do jazz, era um grande porto marítimo e o lar de muitos ex-escravos, que trouxeram suas canções de trabalho e de orações. Aos poucos essas referências se fundiram com a música dos brancos, que era mais pautada na forma de marcha, hinos e de danças como a quadrilha, dando origem ao dixieland. A Fames Dixieland tem o objetivo de promover a difusão das raízes históricas do jazz tradicional associado à música popular brasileira, com foco na qualidade técnica e na excelência musical.

 

19h00

Cerimônia de abertura Oficial do FECIN 2016

Antiga Estação Ferroviária de Muqui

 

19h30

Mostra Competitiva de curtas metragens 2016

 

  • Vai que é tua Tafarinha, de George Augusto

Ficção, 5min, Manaus, AM

 

  • DaliVinCasso de Marcelo Castro e Marlon Tenório

Animação, 11min, São Paulo, SP e Rio de Janeiro, RJ

 

  • Meu 2º Aniversário, de Felipe Rocha

Documentário, 9min, Niterói, RJ

 

  • Flerte, de Samuel Mariani

Animação, 2min, Campinas, SP

 

  • Nosztalgia, de Vanessa Malheiros e Wayner Tristão

Híbrido, 3min, Juazeiro, BA

 

  • Vinillis frutiferis, de Victorhugo Passabon Amorim

Ficção, 16min, Vargem Alta, ES

Gravação do curta metragem Vinillis Frutiferis, com direção de Victorhugo Passabon. Uma espécie de árvore que dá discos de vinil e toca músicas de acordo com a preferência do dono do terreno. Essa espécie rara cresceu em propriedades das comunidades de Castelinho e Vila Maria, em Vargem Alta (ES), e precisa que os beija-flores da região toquem seus bicos nos vinis para que a música seja executada. Essa é a história de Vinillis Frutiferis, que abriu a etapa de gravações do Revelando os Brasis Ano V.

Gravação do curta metragem Vinillis Frutiferis, com direção de Victorhugo Passabon. Uma espécie de árvore que dá discos de vinil e toca músicas de acordo com a preferência do dono do terreno. Essa espécie rara cresceu em propriedades das comunidades de Castelinho e Vila Maria, em Vargem Alta (ES), e precisa que os beija-flores da região toquem seus bicos nos vinis para que a música seja executada. Essa é a história de Vinillis Frutiferis, que abriu a etapa de gravações do Revelando os Brasis Ano V.

 

  • Tocando Meu Destino, de Dandi Queiroz e Juka Morgado

Documentário, 15 min Santos, SP           

 

  • Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor, de Henrique Arruda

Ficção, 16min, Natal, RN

 

 

21h00

Homenagem FECIN 2016

Margareth Galvão

Em sua 5ª edição o FECIN homenageia esta importante atriz, dramaturga, diretora de teatro e professora de interpretação para teatro, cinema e vídeo.

Maria Margarete Pereira Galvão, atriz, dramaturga, diretora de teatro e professora de interpretação, nascida em São Paulo  SP em1953; mora em Vitória  ES desde 1987, depois de um ano na Alemanha, dois anos em Belém do Pará e um ano e meio no Rio de Janeiro. Fez o curso de teatro na Fundação das Artes de São Caetano do Sul  SP, tendo como professores Jonas Bloch, Lineu Dias, Jura Otero, Mariângela Alves de Lima, José Antonio de Souza e Eugenio Kusnet. Formouse em Artes Visuais na Universidade Federal do Espírito Santo.

 

21h30

Pista FECIN

Música boa garantida com DJ Gustavo Txai [Radiola Capixaba]

A rodoviária de Muqui vai virar pista de dança! As música embaladas por Txai prometem agitar o final da primeira noite do festival em Muqui.

Gustavo Txai é colecionador de discos, DJ e produtor cultural desde 2012. A principal influência no início da sua caminhada como discotecário foi a cultura Sound System, que o inspirou a fundar a Radiola Capixaba. Marca de suas produções e o #1 Sound System do Espírito Santo, a Radiola Capixaba é, portanto, produtora de bailes e a aparelhagem sonora com a qual ocupa espaços públicos e reúne as pessoas para se divertirem e refletirem sobre a cidade com música. Neste processo, acumula experiências significativas embalando jovens de todas as idades. Entre elas destacamos 48 edições da festa “Pindorama”, responsáveis por sua especialidade em música brasileira; a participação na programação do Carnaval de Vitória de 2016, na Rua Sete do Centro Histórico; e a participação no Festival Multipliqui, em Muqui, também este ano; além de inúmeras apresentações nas principais casas noturnas de Vitória e intervenções em praças, parques, orlas, ruas e guetos da região.

 

10 de setembro | Sábado

 

16h00

Passeio “Ciclo de Memórias”

Arte do ciclo de memórias

Integra o projeto #ciclodememórias o já tradicional passeio de bicicleta à moda antiga

Saída em frente à casa Dr. Poty Formel com a Fanfarra “Avides Fraga”.

Venha com sua bicicleta e seu traje de época, vamos viver Muqui com poesia!

 

19h00

Abertura da segunda noite do FECIN

Antiga Estação Ferroviária de Muqui

 

19h00

Abertura da exposição Memorial do Bordado, com Bordadeiras de Burarama.

Loja FECIN

“Memorial do Bordado” é uma exposição de mapas afetivos realizados pelas Meninas Bordadeiras de Burarama resultado de uma oficina de memória. Os mapas são bordados pelas próprias meninas e foram construídos em um processo de sensibilidade e introspecção nas memórias individuais e coletivas do grupo, que se reúne toda quinta-feira no distrito em Cachoeiro de Itapemirim.

 

19h00

Lançamento

FECIN apresenta: Lançamento do livro “A palavra que Apalavra” de Jace Theodoro

O muquiense e cronista Jace Theodoro lança seu mais novo livro. O autor recepcionará convidados, amigos e admiradores na Loja do FECIN.

“Uma prosa com um quê de leveza e sensualidade, de doçura e atrevimento”. É assim que a escritora Bernadette Lyra define o novo livro do jornalista Jace Theodoro, que será lançado no dia 21 de junho, às 19h, no Canto do Vinho, em Vitória. “A Palavra que Apalavra – crônicas & palavrórios” é o terceiro livro do autor, reunindo textos publicados no jornal A Gazeta e outros materiais inéditos que o cronista, ironicamente, classifica de palavrórios.

O estilo do autor continua presente nas crônicas do novo livro. Humor, lirismo, ácida crítica social e o olhar atento para o pequeno mundo, as delícias e mazelas do cotidiano. Como diz no prefácio a professora Marli Siqueira Leite, o livro é cheio de humor, picardia e sensibilidade, em meio à metáforas e referências à música, principalmente ao samba, ao cinema e à poesia.

 

19h30

Mostra Competitiva de curtas metragens 2016

 

  • Balú, de Paula Gomes

Ficção, 16min, Salvador, BA

 

  • Cartas, de David Mussel

Animação, 5min, Rio de Janeiro, RJ

 

  • Meninos e Reis, de Gabriela Romeu     

Documentário, de Juazeiro do Norte, CE

 

  • Marlindo Paraíso e a Kombi do Amor, de Max Gaggino

Ficção, 20min, Salvador, BA

 

20h30

Mostra Longa Metragem FECIN 2016

“Saneamento Básico, o filme”

Saneamento Básico, o Filme é um filme brasileiro de 2007 do gênero comédia, dirigido e escrito por Jorge Furtado, produzido pela Casa de Cinema de Porto Alegre e distribuído pela Columbia Pictures do Brasil.

 

22h30

Premiação oficial do FECIN 2016

Entrega dos troféus Catraca e Palma.

 

22h30

Show de encerramento

com Trio Maracá (ES)

FullSizeRender (2)

 

23h30

Apresentação do Boi Chapado, do tradicional carnaval folclórico de Muqui, levando a galera para a After Party

 

00h00

After Party | Ciclo de Memórias #fecin5anos

Depois de muito cinema é hora de comemorar o aniversário de cinco edições do FECIN em uma noite dançante e animada!

Você é nosso convidado! E se chegar de bicicleta paga metade do ingresso!

+ Dj Gustavo Txai

+ DJ Bonitona Dora Moreira

+ Coiote Drinks

+ entrada R$15, mas quem chegar de bike paga R$10

 

JÚRI POPULAR

Em 2016 o FECIN traz uma novidade. A mostra competitiva de curtas metragens será avaliada por um corpo de jurados da própria cidade. Escolhidos pela organização do FECIN, eles vão avaliar cada filme seguindo critérios sugeridos pela curadoria do evento e vão indicar o ganhador do troféu PALMA.

JÚRI OFICIAL

Margareth Galvão

Maria Margarete Pereira Galvão, atriz, dramaturga, diretora de teatro e professora de interpretação, nascida em São Paulo  SP em1953; mora em Vitória  ES desde 1987, depois de um ano na Alemanha, dois anos em Belém do Pará e um ano e meio no Rio de Janeiro. Fez o curso de teatro na Fundação das Artes de São Caetano do Sul  SP, tendo como professores Jonas Bloch, Lineu Dias, Jura Otero, Mariângela Alves de Lima, José Antonio de Souza e Eugenio Kusnet. Formouse em Artes Visuais na Universidade Federal do Espírito Santo.

Bruno Murtinho

Coordenador, tradutor e lançador de legendas do Grupo 4Estações em centenas de Festivais de Cinema e Teatro como, Festival do Rio, Mostra de São Paulo, Festival de Gramado, Festival do Cinema Brasileiro em Buenos Aires, É Tudo Verdade, Amazonas Film Festival, Festival Internacional de TV, Festival de Búzios, Assim Vivemos, Mostra do Filme Etnográfico, Festival América do Sul, Vivo Open Aire dentre outros.

 

post_modelo_fecim_2

Festival TV e Cinema de Muqui divulga filmes selecionados

Filmes de animação, documentário e ficção de sete estados concorrem ao Troféu Catraca

O Festival de TV e Cinema do Interior (Fecin), realizado no Sítio Histórico de Muqui, no Sul do Espírito Santo, divulgou os filmes selecionados da 5ª edição, que acontece nos dias 9 e 10 de setembro. As obras de ficção, animação e documentário serão exibidas na antiga estação ferroviária da cidade.

post_marca

Os 12 filmes que participam da Mostra Competitiva concorrem ao Troféu Catraca, e serão eleitos por um júri técnico. A novidade desse ano é o troféu “Palma”, concebido pela artista plástica Cláudia Puget, em comemoração aos cinco anos de festival e será o prêmio para o filme escolhido por um  júri popular composto por 10 moradores de Muqui.

De acordo com o curador Ériton Berçaco, as pessoas ficarão impressionadas com os trabalhos que serão exibidos. “O público pode esperar filmes feitos com paixão, humor, amor e arte. A curadoria teve um prazeroso trabalho em escolher filmes com abordagens diferentes sobre o ser humano. Olhares distintos, de várias religiões do Brasil, mas com algo em comum: o desejo de expor afetos com imagens”, afirmou.

Foram recebidas quase 200 produções de vários lugares ao redor do mundo: do Ceará à Budapeste. As 12 obras selecionadas pela curadoria são de sete estados brasileiros e seus diretores e ficarão hospedados na mesma casa no Sítio Histórico.

Além de representar suas obras, os cineastas também participarão de diversas atividades como, mesas de bate-papo sobre produções cinematográficas com o público.

O FE5INCO

Contato que aproxima, provoca e estimula sentidos. O território do tato e do contato é a proposta de ambiente do Fecin, que há 5 anos reúne e envolve cineastas, moradores locais e visitantes na vivência da cultura e do intercâmbio por meio de produções cinematográficas, mesas de bate-papos, arte, poesia, música e histórias.

Uma novidade para este ano é a exposição “Ciclo de Memória”. A proposta é que, a partir de fotografias, se conte histórias de pessoas e suas bicicletas. A compilação das fotos enviadas montará uma exposição interativa durante todo o festival. O “Ciclo de memória” é também o start para o passeio de bicicleta à moda antiga pelas ruas da cidade, acompanhada pela tradicional fanfara “Avides Fraga”.

O Fecin, é uma ação cultural de cunho cinematográfico realizado no maior sítio histórico do Espírito Santo e produzido (pela primeira vez em 2012) no intuito de expandir o diálogo cinematográfico capixaba, promovendo a discussão, o fomento, a valorização e a exibição de obras de artistas e núcleos – independentes ou não – do Estado e de todo o Brasil.

Em 2016, o Fecin completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

A 5ª edição do Fecin acontece nos dias 9 e 10 de setembro na Antiga Estação Ferroviária de Muqui (ES). O festival é uma realização da Caju Produções em parceria com o Instituto Sincades, patrocínio do Sebrae e apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo.

 

Filmes selecionados para a Mostra Competitiva, separados por dia de exibição

SEXTA (9/09)
– Vai que é tua Tafarinha, de George Augusto
Ficção, 5min, Manaus, AM
– DaliVinCasso de Marcelo Castro e Marlon Tenório
Animação, 11min, São Paulo, SP e Rio de Janeiro, RJ
– Meu 2º Aniversário, de Felipe Rocha
Documentário, 9min, Niterói, RJ
– Flerte, de Samuel Mariani
Animação, 2min, Campinas, SP
– Nosztalgia, de Vanessa Malheiros e Wayner Tristão
Híbrido, 3min, Juazeiro, BA
– Vinillis frutiferis, de Victorhugo Passabon Amorim
Ficção, 16min, Vargem Alta, ES
– Tocando Meu Destino, de Dandi Queiroz e Juka Morgado
Documentário, 15 min Santos, SP
– Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor, de Henrique Arruda
Ficção, 16min, Natal, RN
SÁBADO (10/09)
– Balú, de Paula Gomes
Ficção, 16min, Salvador, BA
– Cartas, de David Mussel
Animação, 5min, Rio de Janeiro, RJ
– Meninos e Reis, de Gabriela Romeu
Documentário, de Juazeiro do Norte, CE
– Marlindo Paraíso e a Kombi do Amor, de Max Gaggino
Ficção, 20min, Salvador, BA
perfil fecin

INSCRIÇÕES PRORROGADAS PARA A 5ª EDIÇÃO DO FECIN

2014-11-28_Fecin2014_299

Filmes de ficção, animação e documentário podem participar da seleção que concorre ao troféu Catraca.

            A Mostra Competitiva oficial da 5ª edição do FECIN, o Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo está com inscrições abertas para o recebimento de curtas metragens até o dia 25 de julho, segunda-feira. O festival é realizado anualmente em Muqui, no sul do Estado e, em 2016, realiza uma edição comemorativa às cinco edições do projeto tematizando o território do tato e do contato pelas mãos e pelo intercâmbio.

A novidade desta edição é o troféu “Palma”. Concebido pela artista plástica Cláudia Puget, o troféu premiará o melhor filme do júri popular, que será composto exclusivamente por um grupo de dez pessoas da cidade de Muqui.

Os filmes inscritos concorrem ao troféu “Catraca” de melhor filme (documentário, animação e ficção) e seus diretores poderão ser recebidos em Muqui para participar do evento representando suas obras no festival. As obras inscritas serão avaliadas por uma curadoria composta por Cláudia Puget e Ériton Berçaco, moradores de Muqui e serão avaliados durante o festival por júri oficial. Prêmios em dinheiro poderão ser oferecidos de acordo com as parcerias viabilizadas no corrente ano.

O evento tem previsão para ocorrer nos dias 09 e 10 de setembro de 2016, no centro histórico de Muqui e é uma realização da Caju Produções em parceria com a comunidade local do município, além de outras parcerias e patrocínios do Estado do Espírito Santo ainda não confirmadas.

ACESSE O REGULAMENTO AQUI

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

TEMA FECIN 2016:

TERRITÓRIO

DO TATO

E DO CONTATO

O Fecin chega à sua quinta edição com a partilha do sensível. Ao alcance da mão, do tato que mapea, que mede a temperatura, que toca o imaterial e apanha o infinito. De 2012 até aqui, em 2016, são cinco edições do festival, uma mão de cinco dedos cujas pontas tocam diferentes texturas: da cidade menina e cenográfica que coloca a cara do seu “nativo” na tela, à invenção que promove o aperto de mãodo intercâmbio no interior. O tato é o primeiro sentido que o embrião humano desenvolve. As mãos são ferramenta de comunicação para mudos e surdos. Para os cegos, são os olhos.

Somos as linhas de território, dedos que apontam para os horizontes de futuro.

Somos terminações nervosas

Estímulos

Sensores

Somos o vento, o molhado, a vibração…

Somos todos os sentidos.

FE5INCO – Em 2016 o FECIN completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

Informações:

Caju Produções

www.cajuproducoes.art.br

leoalvesmuqui@gmail.com

Léo Alves

(27) 3026 0051

perfil fecin

REGULAMENTO FECIN 2016

REGULAMENTO

 

O Fecin – Festival de TV e Cinema do Interior – realizado em Muqui, Espírito Santo, Brasil, está em sua quinta edição e abre inscrições para filmes de curta-metragem.

Durante dois dias, o Fecin levará para o maior sítio histórico do Espírito Santo mostras de filmes, oficinas, bate-papo, shows musicais.

 

TEMA FECIN 2016

 

TERRITÓRIO

DO TATO

E DO CONTATO

 

O Fecin chega à sua quinta edição com a partilha do sensível. Ao alcance da mão, do tato que mapea, que mede a temperatura, que toca o imaterial e apanha o infinito. De 2012 até aqui, em 2016, são cinco edições do festival, uma mão de cinco dedos cujas pontas tocam diferentes texturas: da cidade menina e cenográfica que coloca a cara do seu “nativo” na tela, à invenção que promove o aperto de mãodo intercâmbio no interior. O tato é o primeiro sentido que o embrião humano desenvolve. As mãos são ferramenta de comunicação para mudos e surdos. Para os cegos, são os olhos.

 

Somos as linhas de território, dedos que apontam para os horizontes de futuro.

Somos terminações nervosas

Estímulos

Sensores

Somos o vento, o molhado, a vibração…

Somos todos os sentidos.

 

FE5INCO – Em 2016 o FECIN completa 5 anos de história. Convidamos você a revisitar o conceito do festival, que envolve cinema e patrimônio no contexto da construção de um plano criativo e audiovisual em Muqui, o POQUI, que nasce como uma proposta cultural estruturante para a cidade.

 

 

Além do cinema e da TV, o Festival traz uma programação cultural ao sul do Espírito Santo, sempre com opções para crianças, jovens e adultos em ações abertas ao público e com entrada gratuita. Os artistas, realizadores e turistas que visitam a cidade durante o Festival podem conhecer uma cidade com ares cenográficos – herança do período áureo dos barões do café, com rica arquitetura e manifestações folclóricas preservadas. Nos dias do festival, arte e cultura dialogam aos olhares do audiovisual. Com pouco mais de 14 mil habitantes, a cidade é conhecida pela beleza arquitetônica, pelas manifestações folclóricas e pela arte audiovisual.

 

MOSTRAS

 

Mostra Cinema – Curtas-metragens de ficção, documentário, animação, experimental, gênero híbrido, com no máximo 30 minutos de duração.

 

PREMIAÇÕES

 

Júri Técnico

A Mostra Competitiva premiará, por meio de um júri técnico, o melhor curta de ficção, melhor documentário e/ou melhor animação. Podendo, ainda, premiar melhor curta de gênero híbrido, videoarte, e outra classificação a critério do júri.

 

Júri Popular

Mostra Cinema – Cada pessoa do júri popular, presente no Festival, poderá votar em apenas 1 curta da mostra.

 

INSCRIÇÕES – DE 18 À 22 DE JULHO DE 2016

 

O Festival aceita inscrições de filmes de no máximo 30 minutos de duração, finalizados em qualquer formato, produzidos a partir de 2014, inéditos no Fecin e que não tenham sido inscritos nenhuma outra edição do evento.

 

As inscrições são gratuitas.

 

Os trabalhos inscritos podem ser enviados para análise da curadoria através do formulário clicando AQUI

A previsão de divulgação dos filmes selecionados é a primeira quinzena de agosto, podendo este prazo ser prorrogado. Os curtas selecionados pela curadoria precisarão ser enviados em formato digital, FULL HD MP4 para o e-mail contato.fecim@gmail.com ou pelo Correio, em 1 DVD, para o endereço: 4º Fecin – Festival de TV e Cinema do Interior – Rua Coronel Marcondes, nº 66, Centro – Muqui – ES – Brasil. CEP: 29480-000.

 

As despesas de transporte e todos os encargos e tributos incidentes referentes à remessa de trabalhos para a seleção serão de total responsabilidade do remetente.

Os filmes enviados para a seleção da curadoria, via internet ou pelo correio, passarão a fazer parte do acervo do Fecin, e poderão ser utilizados somente com objetivos culturais, sem fins comerciais.

 

O responsável pela inscrição do trabalho selecionado deverá enviar, para o endereço descrito acima, declaração informando que dispensa cobrança oriunda de direito autoral por parte do ECAD, conforme rege a Lei 9.610/98. Essa declaração deverá ser assinada pelo autor da Trilha Sonora, ou música veiculada no filme, em conjunto com o diretor da obra audiovisual e enviada escaneada para o e-mail contato.fecim@gmail.com ou trazida junto com o cineasta para o festival.

 

NÚMERO DE TRABALHOS INSCRITOS

Cada realizador pode inscrever apenas um filme na Mostra.

 

PREMIAÇÃO E VIAGEM

A premiação do FECIN consiste no Troféu Catraca, tradicional reconhecimento do evento aos cineastas.

Para esta edição, o FECIN está avaliando junto aos parceiros a possibilidade de custear as despesas de hospedagem, alimentação e transporte (avião e terrestre) dos cineastas que tiverem seus filmes selecionados. O festival acontecerá nos dias 09 e 10 de setembro, com necessidade de que os cineastas (ou representante dos filmes) estejam disponível para viagem a partir do dia 07 e 08.

 

DIVULGAÇÃO

Com a autorização do realizador, todas as informações presentes no formulário de inscrição dos filmes selecionados, assim como até 20 segundos de imagens do filme poderão ser publicadas e exibidas por meio das páginas do Festival na Internet, bem como em publicações impressas, televisivas e digitais, a fim de divulgar o trabalho e o 5º FECIN.

 

A edição de 2015 do festival privilegiará em sua programação visual fotos dos filmes concorrentes de maneira ampla, por isso, os filmes selecionados deverão enviar 03 fotos da obra em alta resolução para o e-mail informado.

 

Dúvidas e informações: contato.fecim@gmail.com

A inscrição no Festival implica na plena aceitação deste regulamento.

5º Fecin – Festival de TV e Cinema do Interior
Muqui – Espírito Santo – Brasil
09 e 10 de setembro de 2016.
contato.fecim@gmail.com

SELO_CineEma

Quem veio primeiro, a Ema ou o Cinema?

Pedra da Ema, foto de Lívia Batistine

Pedra da Ema, foto de Lívia Batistine

Texto de Ériton Berçaco

O surgimento das aves data de milhões de anos atrás, na chamada era Mesozoica. O cinema, surgiu no final do século 19 na França. A ema é um pássaro natural da América do Sul. O cinema surgiu na França e ganhou o mundo. A ema é um pássaro que, embora tenha asas, não voa. Mas, através do cinema, a ema ganha o mundo. E o mundo pousa suas asas mais diversas na tela.  Em Burarama, pequeno distrito no interior de Cachoeiro de Itapemirim, sul do Espírito Santo, há uma pedra símbolo da região, em cuja estrutura uma espécie de fenda, de acordo com a posição do sol, projeta a figura de uma ema. O curioso é que o cinema se dá pela projeção de imagens em movimento numa superfície, graças à incidência da luz. Antes mesmo de os irmãos Lumière inventarem o cinema, o sol já se encarregava de fazer cinema na pedra, que só mais tarde seria chamada de pedra da Ema.

Logo, neste caso peculiar de cinema, nesta ema desenhada pelo sol, ambos surgem ao mesmo tempo em que a luz projetada faz o desenho de uma ave que do alto da pedra assiste a todos que assistem a ela.

Interessante é que o nome ema está na palavra cinema. Sem ele (projeção de luz), a ema não seria vista na pedra. Sem ela, a ema, o nome cinema ficaria incompleto. Se emas não existissem, não saberíamos dizer que figura a luz/sombra desenha na pedra.

Em 2015, surgiu a ideia de se fazer um festival de cinema ambiental neste lugarzinho do Espírito Santo em que a natureza ainda pode ser contemplada. Lugar de matas e cachoeiras, de tardes frescas e risadas, de café que cheira atraente, de alinhavar de uma bordadeira. Mas, que nome teria este evento? Burarama e cinema… Burarama, pedra da ema… Cinema… Ema… Ci… CinEEma! O nome veio como luz que pousa e cria.

Para além da brincadeira com a forma e o sentido das palavras Cinema e Ema, o que precisa vir primeiro é a nossa sensibilização para que o mundo seja preservado e assim possa ser visto, cheio de vida, pelas telas do cinema ou pelos olhos que contemplam a ema. E que espécies como esta ave não se tornem lenda, ou só um desenho esquecido numa rocha. A arte é o que dá sentido à vida. Por meio dela, podemos expressar sentimentos e preservar o mundo, o meio do qual somos parte.

Foto de Léo Merçon

Foto de Léo Merçon

Ériton Berçaco

Idealizador do nome do festival “Cineema”. Professor de Literatura, realizador cultural, e curador do Fecin – Festival de TV e Cinema de Muqui.

SELO_CineEma

Festival de cinema ambiental divulga programação completa

Foto Divulgação (3)

Foto de André Fachetti

Inspirado na Pedra da Ema, o “Cine.Ema” apresenta cinema, música e oficinas em Cachoeiro de Itapemirim.

Depois de diversas oficinas realizadas desde maio na comunidade e tendo como tema central “Aves de Burarama”, a segunda edição do Cine.Ema – o Festival de Cinema Ambiental e Sustentável de Cachoeiro e Itapemirim será realizada nos dias 1º e 2 de julho, no distrito de Burarama, que integra o corredor ecológico do Espírito Santo. O evento terá uma programação gratuita diversificada, com mostra competitiva de filmes de curta-metragem, shows, atividades ecológicas como caminhadas, observação de aves e outras ações de educação ambiental.

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento socioambiental da comunidade, a Odebrecht Ambiental, a ANA, Agência Nacional de Águas e o Banestes, são algumas das parceiras do festival. Neste ano, foram inscritos 53 filmes nas categorias ficção, documentário e animação, com temas prioritariamente focados em meio ambiente e sustentabilidade. Os vencedores serão premiados em cada categoria com o Troféu “Burarama”, além do prêmio de votação popular.

Distrito de Burarama_Foto de Haroldo Trombetta

Buscando fazer de Burarama uma referência cultural e turística no sul capixaba, o festival foi pensado para valorizar a Pedra da Ema localizada no distrito. A pedra leva este nome por estampar em sua superfície a figura de uma Ema, transformando-se num símbolo da região.

Segundo os sócios da Caju Produções, Léo Alves e Tania Silva (realizadores do projeto) o festival se configura como uma ação de educação ambiental envolvendo comunidade escolar, urbana, rural de áreas quilombolas e periféricas na busca pela transformação social, conhecimento e reconhecimento de suas identidades a partir do diálogo sobre desenvolvimento local relacionando o turismo, a sustentabilidade, a economia criativa e geração de emprego e renda.

A comunidade está preparada e envolvida com o festival desde maio, já que estão realizadas pela produção diversas atividades com foco na formação de capital humano, relacionando com o objetivo principal do desenvolvimento comunitário, além de resultar produções cinematográficas que serão exibidas em uma Mostra de Cinema na próprio festival.

Foto Divulgação (9)

Ação de plantio de farmacinha ecológica com alunos da Escola Wilson Resende em 2015 (Cine.Ema 1), foto de Léo Alves

O tema estará nas atividades da programação, com oficinas de observação de pássaros com destaque para a “Roda de Passarinho”, que vem diretamente de Florianópolis para realizar as ações com crianças e troca de experiências que acontecerão paralelas à mostra de filmes. Também estão previstas ações culturais, com lançamento de livros, contação de história, apresentação de folia de reis, bate-papo sobre cinema, loja de artesanato, apresentação dos trabalhos realizados nas oficinas, entre outros. Os eventos acontecerão na Praça José Gava, em Burarama.

O Cine.Ema é uma realização do Ministério da Cultura, da Caju Produções e do Instituto Últimos Refúgios, com apoio da Odebrecht Ambiental, da ANA (Agência Nacional de Águas), do Ministério do Meio Ambiente e do Banestes.

Foto Divulgação (4)

Alunos da Escola Wilson Resende apresentam seu filme no Festival em 2015, foto de André Fachetti

TEMA CINE.EMA 2016: AVES DE BURARAMA

Do voo à pedra.

Da Pedra para a tela.

De novo: um voo.

O play.

A pedra que leva o nome de uma ave é assim chamada por possuir uma falha rochosa que, de acordo com a posição do sol, forma a figura de uma ave pernalta, reconhecida por toda a comunidade como uma Ema. Embora não haja Emas na região Burarama tem características ambientais que a diferenciam no cenário sul capixaba, fazendo parte do corredor ecológico. E muito embora haja esta relação com as aves, inclusive no ícone paisagístico da região, poucos projetos dinâmicos sociais e culturais a respeito do mapeamento e do encontro de aves de espécies raras no distrito são realizados. A segunda edição do Cine.Ema enaltece estas belezas, convidando você a conhecer estas aves raras e as outras paisagens verdes que envolvem a comunidade.

O Corredor Burarama – Pacotuba – Cafundó apresenta características peculiares no contexto da atividade turística. A comunidade de Burarama, por exemplo, com ares bucólicos, arquitetura colonial e características geográficas de rara beleza, detém enorme potencial para o desenvolvimento da atividade turística, principalmente no segmento do ecoturismo, turismo de aventura e agroturismo, este último já realizado através do Circuito “Águas de Burarama” que envolve pequenos produtores rurais, artesãos, sistemas de hospedagem e alimentação, áreas naturais particulares e espaços de lazer.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

PROGRAMAÇÃO CINE.EMA 2016

Dias 01 e 02 de julho de 2016.

 

01 DE JULHO | SEXTA-FEIRA

8h00_Caminhada Ecológica_Saída em frente à Escola Wilson Resende | Trilha do Cruzeiro

9h00_Pique nique na árvore do Cine.Ema (comemoração de um ano de plantio da árvore do festival) | Casa de Dona Alair.

10h00_Bate-papo e contação de histórias com a escritora e artista Fernanda Fassarela, autora do livro “Ovelha Mochileira”. Durante o bate-papo, haverá uma atividade de releitura do livro com desenho/aquarela feito pelas crianças da Escola Wilson Resende e orientadas pela artista.

9h00_11h00_Olimpíada “Água em Jogo” | Parceria com Agência Nacional das Águas | Escola Wilson Resende.

14h_16h00_ Olimpíada “Água em Jogo” | Parceria com Agência Nacional das Águas | Escola Wilson Resende.

16h00_Bate-Papo sobre cinema com Léo Merçon, Ilka Westermeyer e os adolescentes participantes da oficina de cinema ambiental_Compartilhamento das experiências realizadas durante a oficina | Praça José Gava;

16h00_Abertura da exposição “Paisagens Sonoras” no coreto da Praça José Gava, de Fábio Coelho.

18h00_Abertura da Loja Cine.Ema, Feirinha artesanal e cultural e outros estandes convidados | Praça José Gava.

18h00_Cortejo de abertura com participação da Escola Wilson Resende e a apresentação da Folia de Reis “Missão Divina”. Apresentação da banda “Fames Dixieland”.

19h30_Abertura Oficial do Cine.Ema | Praça José Gava

20h00_Mostra Competitiva de Curtas Metragens | Praça José Gava

 

A Baleia e o Tesouro, de Instituto Marlin Azul | Ani, 5min, ES

O dia em que a onça não bebeu água, de Celso Martins | Doc/Fic, 10min, GO

Toda forma se transforma, de Danilo Belchior | Ani, 1min, SP

Os Meninos Verdes, de Rosa Berardo | Ani, 10min, GO

Back to us, de Carlos Silveira | Fic, 3min, SP

Salvem o rio, de Ricardo Rodrigues e Vitor Gracciano | Doc, 6min, RJ

Oxum, de Denis Leroy | Ani, 8min, MG

Cinza, de Victor Uchôa | Doc, 8min, BA

Retirantes, de Maíra Coelho | Ani, 13min, RS

 

21h30_Show Musical de Encerramento com André Prando (ES) | Praça José Gava

 

02 DE JULHO | SÁBADO

15h00_Papo Nique apresenta: “Roda de Passarinho” com Renato Rizzaro e Gabriela Giovanka, de Florianópolis.

A Roda de Passarinho nasceu a partir da vivência de Renato e Gabriela como Observadores da Natureza, especialmente de aves, transmitidas às crianças da comunidade de São Leonardo, onde a Reserva Rio das Furnas está inserida. A atividade busca a interação dos participantes com a Natureza através de fotografias, sons, sementes, flautas, atividades físicas, relatos de vivências e brincadeiras.

16h00_ Café com exposição | Meninas Bordadeiras de Burarama apresentam: Varal de Memórias, resultado do projeto “Memorial do Bordado” | Ponto de Memória.

 

17h00_Bate-papo sobre observação de pássaros com Léo Merçon, Detinha Son e Filipe Ventura_ Compartilhamento das experiências realizadas durante a oficina de observação de pássaros.

18h00_Abertura da Loja Cine.Ema, Feirinha artesanal e cultural e outros estandes convidados | Praça José Gava

18h00_Lançamento + Bate-papo | livro infanto-juvenil “Ovelha Mochileira” de Fernanda Fassarela na Praça José Gava junto à Biblioteca Estante Livre. Durante o lançamento do livro, haverá um varal com os desenhos produzidos pelas crianças da Escola Wilson Resende. O melhor desenho, eleito por júri, ganhará um kit especial do livro.

O livro “Ovelha Mochileira” conta a história de Agustina, uma ovelhinha muito curiosa e pensativa que coloca uma mochila nas costas e sai à procura de sua família. Em suas andanças, ela estabelece uma relação muito próxima com a natureza e as paisagens da Cordilheira dos Andes. Vive muitas aventuras reais e imaginárias pelo caminho afora… e descobre sua origem de forma inesperada!

19h00_ Mostra Competitiva de Curtas Metragens | Praça José Gava

 

Guaçuí, para merecer quem vem depois…de Marcos Loures | Fic, 11min, ES

Comadre Fulozinha, de Gemerson Sander | Fic, 7min, MG

O Bicho do Buraco, de Instituto Marlin Azul | Ani, 3min, ES

Coroas, de Isaac Donato e Marília Cunha | Doc, 14min, BA

Nada, Nadador! de Instituto Marlin Azul, | Ani, 15min, ES

Manancial, de Bruno Soares | Fic, 7min, PB

Dinossauro Rex, de Instituto Marlin Azul | Ani, 3min, ES

Água fonte de vida, de Escola José Antônio de Carvalho| Doc, 8min, ES

20h00_ Mostra Cineclube Cine.Ema, com apresentação dos filmes realizados pelos participantes da oficina de cinema ambiental e premiação da “Olimpíada Água em Jogo”

21h20_Premiação final: Troféu “Burarama” de melhor filme documentário, animação, ficção e júri popular.

22h00_Show Musical de Encerramento com Trio Maracá (ES).

 

Festival Jovem Comunitário de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo.

Durante o Cine.Ema, as ações resultantes de três oficinas realizadas em Burarama e região serão apresentadas. Confira a programação e os detalhes.

[OFICINA DE CINEMA AMBIENTAL] _ Apresentação dos filmes realizados pelos adolescente da Escola Wilson Resende durante a execução da oficina.

[OFICINA DE OBSERVAÇÃO DE PÁSSAROS]_Bate-papo com os realizadores e participantes da oficina de observação de pássaros.

[OFICINA DE PRODUÇÃO CULTURAL E EMPREENDEDORISMO]_Abertura da Feira artesanal e cultural, resultado da ação realizada na oficina com os participantes.